terça-feira, 24 de setembro de 2013

Só Pra Constar

Apenas para Esclarecer aos desavisados.


Eu já emagreci o que pretendia emagrecer, basta dar uma olhada com mais calma nos meus gáficos aqui à direita do texto.


Hoje estou buscando algum tipo de motivação para encarar de verdade uma atividade física, já que sinto que preciso, NÃO PARA MANTER A FORMA, mas para MANTER O "PIQUE".


Portanto, ninguém precisa entrar aqui no blog para agressões gratuítas. Se o assunto te interessa, vá em frente, leia os posts, os comentários e seus desdobramentos, aproveite o que te servir e descate o que não concordar, mas se o assunto não te interessa vá ler outra coisa, a internet está cheia de coisas mais interessantes que podem te fazer uma pessoa MELHOR, sem precisar parar num blog para agredir quem quer que seja.


Desculpem, mas precisava esclarecer alguns leitores muito equivocados.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Prioridade, cadê você?

Então, passei esse tempo todo afastada do blog simplesmente porque não conseguia estabelecer a MINHA prioridade.

Como pode uma criatura se vestir durante uma semana inteira para fazer ginástica, e muito sorrateiramente ir fazendo outras coisas na rotina diária, passando o tempo, deixando para daqui a pouco e terminar o dia sem ter conseguido dar se quer, um passo na esteira ou uma mísera pedalada na bicicleta ergométrica?

Isso só pode ser falta de prioridade mesmo.

É que o negócio é tão ruim, que vamos fazendo uma coisa aqui, outra ali e o dia passa e não vamos fazer aquilo que nos causa tanta insatisfação.

O sistema de recompensa de nosso cérebro é astuto. Ele sabe que aquela atividade física não vai trazer benefício imediato, como um doce ou um bombom costuma trazer, e somando-se a isso, temos nossa resistência natural, que talvez nem seja assim tão natural, mas nos dá toda a força que precisamos para priorizar sempre outra coisa, mesmo que seja lavar aquela roupa acumulada, ou passá-la.

Percebam como para mim é difícil escolher a atividade física se tenho uma pilha de roupa para lavar ou para passar. A atividade sempre pode ficar para amanhã, enquanto a roupa não, já que se eu deixar para depois só vai aumentar e aí sim, ficarei estressada.

Eu costumo brincar dizendo que todas as vezes que deixo alguma tarefa do lar para depois ele insiste em ficar me esperando e na maioria das vezes pior do que se eu enfrenta-la logo. Rsrsrsrs


Assim, terei que resolver esse difícil dilema, entre a OBRIGAÇÃO do trabalho doméstico e o SOFRIMENTO da atividade física.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Decisão Difícil

Quem me acompanha há algum tempo sabe minha aversão à atividade física, mas agora estou sentindo que preciso fazer alguma coisa, sem estresse, sem exagero, e principalmente sem pretensão de obter qualquer resultado na balança, já que tenho comprovada experiência que comigo não funciona mesmo.

Acontece que tenho me sentido enrijecida, tenho perdido mesmo a flexibilidade e a fadiga tem me consumido rapidamente. Continuo executando todas as atividades que sempre executei, mas a cada dia tem ficado mais difícil.

Agora penso que assim como tomamos remédio para tirar uma dor, terei que encarar uma caminhada mínima de 30 a 40 minutos por dia para tentar vencer algumas dores que se apoderaram do meu dia a dia.

Ou seja fui vencida pela “Regra da Atividade Física”, que eu ainda não consigo entender, não consigo concordar, acho cruel, mas parece que se trata de um “mal necessário”, no caso dos sedentários que como eu ABOMINAM qualquer atividade física.

Confesso que é uma decisão muito difícil e no próximo post vão entender o quanto para mim isso é contraditório.



terça-feira, 10 de setembro de 2013

Sumida, eu?

Sim, é verdade... Depois das férias, eu simplesmente desertei.

Mas vamos tentar retomar o controle, arranjar um tempo para PARAR e falar sobre nossas dificuldades. Realmente elas não desaparecem, e quando nos perdemos nas tarefas, afazeres e correria do dia a dia, são elas que acabam nos dominando.

Sim, as dificuldades ficam ainda mais difíceis de serem vencidas, quando nos distanciamos de nosso FOCO.

Sempre escuto que tudo depende da nossa prioridade, mas nunca vejo ninguém assumir alguma tarefa em nosso lugar, para aliviar um pouco, então, somos nós que precisamos render mesmo.

Já comentei aqui que dirijo a associação do bairro que moro, e tenho enfrentado um tsunami de reclamações e reinvindicações, já que é sempre muito mais fácil reclamar do que vir ajudar. Eu até pensei em esperar meu mandato acabar, mas ele vai até meados de Março do ano que vem, e eu não posso simplesmente ficar esperando que acabem as responsabilidades e cobranças sobre esse cargo para só depois voltar ao imprescindível FOCO.


Assim, mais uma vez vou tentar me disciplinar para voltar a esse espaço que sempre foi muito importante para me manter no controle.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Quase Voltando

Já voltei, mas ainda não dei conta da bagunça...

Tentando me organizar para retornar para esse cantinho.


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Férias

Gente amiga, desculpem, não tive tempo de preparar os textos antecipadamente como fiz nos anos anteriores, e saí de férias sem deixar nada programado para publicação.

Estou no Nordeste do Brasil, mais precisamente em Maceió, de onde vou subir mais um pouco passando por Maragogi, Porto de Galinhas, e Recife.

Não tem sobrado muito tempo para acessar a internet, e as redes que tenho acessado também não ajudam em nada dada a lentidão das conexões, por isso estou bem mais afastada do que de costume.

Claro que a dieta está em último plano, com tantas coisas gostosas aqui do nordeste fica bem difícil, mas depois que eu voltar, volto a pensar nesse assunto, sem rotina, sem horários, sem qualquer regra, não espero mesmo nada das férias.

Paciência, eu volto logo para discutirmos nossas dificuldades e contarei com o apoio de todos os queridos leitores para continuar FIRME e FOCADA.


sexta-feira, 21 de junho de 2013

Querer o Impossível

É preciso entender nosso subconsciente.

Vamos voltar ao passado?

Quando ainda éramos adolescentes: Nosso peso poderia girar entre 50 e 60 quilos (dependendo da estatura de cada um), e quem pesava 50, queria pesar 45, quem pesava 60 queria pesar 50, com o passar do tempo cada um foi “ganhando” aqueles famigerados quilinhos adicionais que vem de brinde com a idade, então quem passou a pesar 70 agora queria voltar para os 60, que antes também não eram o “ideal”, alguns chegaram aos 80 e choram para voltar para os 70, lembrando que já pesaram 60 e não eram felizes.

Quanta insatisfação pessoal vivemos! Nunca estamos contentes, queremos sempre além da nossa capacidade, e é isso que gera tanto sofrimento.

O que não nos deixava felizes anos atrás, hoje é uma meta, e assim passamos a vida correndo atrás do que perdemos, daquilo que não desfrutamos enquanto tínhamos.

Bora para a realidade? Pensar o que é possível e o que conseguimos fazer, o quanto estamos dispostos a nos sacrificar para atingir nossas metas.

O benefício vem na mesma proporção do sacrifício, mas temos que ter equilíbrio e saber analisar até que ponto vale à pena e até onde estamos dispostos a ir.

Isso tudo não significa DESISTIR do que queremos, mas sim, ENTENDER o que queremos.

Convém lembrar que: "O impossível é quase sempre o que nunca se tentou".



quarta-feira, 12 de junho de 2013

Comparar com Sabedoria

Nada de se comparar com alguma atriz esquelética, anoréxica, nem tão pouco com aquelas usuárias de anabolizantes.

Tenha em mente você, antes de qualquer coisa. Sua saúde, sua condição física, sua estrutura, seu biotipo.

Nada de ficar se comparando com outra pessoa. Você é única (o), não adianta se anular para atingir o inatingível.

O mais interessante é procurar comparar suas próprias roupas. Se tiver alguma que não sirva mais, utilize como forma de se motivar, pegue a que está sendo usada hoje e QUEIRA MUITO voltar a utilizar a antiga.

A partir daí é concentração, esforço, esforço, mais esforço e FOCO.


Lembrando que praticamente tudo que buscamos na nossa vida requer algum sacrifício e o que vem sem sacrifício geralmente vai embora muito rápido ou não rende. Se você economizar dinheiro sendo desonesta (o), aquele dinheiro não vai render, e pior você pode precisar utilizá-lo com remédio. Eu costumo dizer que se alguém economiza com maldade, injustiça ou tentando levar vantagem (bancando o “eSpeRto”), mais cedo ou mais tarde irá gastar com remédios, o que economizou.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Competição 310513

Atualizado em  04/06/2013 09:01 h

GENTE! Não, não é o "Dudu" que está lendo. kkkkk

Eu quase esqueci de publicar o ranking de nossa "brincadeira séria", embora só sejamos duas na brincadeira.

Lembrando a todos os leitores que todos podem participar dessa nossa “brincadeira séria”, como definimos no início, basta acompanhar seu peso semanalmente e enviar o resultado até o sábado, para tabulação dos dados.
                              

  Parabéns DE NOVO Kazinha!  Mesmo "Sem Querer"  e zerando você ganhou e muito.

O Feriado até foi bom, mas a dieta, essa realmente não emplacou, e percebe-se pelo meu resultado. #lamentável.

Obs.: Ainda mantendo alguns nomes na lista pois não sei ao certo quem se manterá.

Nota:
As participantes que deixam de enviar seus resultados por muito tempo acabam sendo retiradas temporariamente da lista para não ficarmos com lacunas inteiras sem preenchimento, mas tão logo consigam se reorganizar e voltar a passar os dados, serão automaticamente incluídas.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Competição 240513

Atualizado em  27/05/2013 14:30 h


Lembrando a todos os leitores que todos podem participar dessa nossa “brincadeira séria”, como definimos no início, basta acompanhar seu peso semanalmente e enviar o resultado até o sábado, para tabulação dos dados.
                              
  Parabéns DE NOVO Kazinha! Querer realmente é poder!


Obs.: Ainda mantendo alguns nomes na lista pois não sei ao certo quem se manterá.

Nota:
As participantes que deixam de enviar seus resultados por muito tempo acabam sendo retiradas temporariamente da lista para não ficarmos com lacunas inteiras sem preenchimento, mas tão logo consigam se reorganizar e voltar a passar os dados, serão automaticamente incluídas.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Quase Animada


É, a balança começa a dar sinais de que voltei mesmo ao controle.

Não gosto de comemorar com muita antecedência, nem antes de ter resultados muito concretos, mas estou começando a voltar a ficar animada.

Diria que os últimos 7 dias eu consegui nota 8,5 no controle, que andava na casa dos 3, então é uma grande vantagem.

Estamos portanto em um resultado de 4 x 3 contra mim, por enquanto, afinal foi um longo período de total ABANDONO de mim mesma.

Agora mais cuidadosa, mais criteriosa, aos poucos vamos reverter esse resultado.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Competição 170513

Atualizado em  20/05/2013 7:00 h
Atualizado em  21/05/2013 7:00 h


Lembrando a todos os leitores que todos podem participar dessa nossa “brincadeira séria”, como definimos no início, basta acompanhar seu peso semanalmente e enviar o resultado até o sábado, para tabulação dos dados.



                              
  Parabéns Kazinha! Você sempre traz resultados animadores, comprovando sempre que dependemos muito mais de nós do que de qualquer outro fator. Se você QUER, você PODE.

Parabéns a você também Moh! Que resultado expressivo e animador para todas nós!

Obs.: Mantive a última lista que existia e aos poucos vamos atualizando com as informações que chegarem, incluindo novas participantes, e excluindo aquelas que não participam mais.

Nota:
As participantes que deixam de enviar seus resultados por muito tempo acabam sendo retiradas temporariamente da lista para não ficarmos com lacunas inteiras sem preenchimento, mas tão logo consigam se reorganizar e voltar a passar os dados, serão automaticamente incluídas.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

O "Querer" Voltou

Agora é DE VERDADE um Reinício, pois depois de meses, essa foi a primeira semana que consegui chegar até a sexta feira muito bem controlada.


Superei a falsa vontade daquilo que como sempre.

Como pode ser vontade se está sempre disponível e sendo consumido?

Como sempre disse: Isso não é vontade e pronto. Basta lembrar que comemos isso ontem, semana passada, mês passado...

Só temos direito de sentir vontade de comer algo muito, mas muito especial, e que não está no cardápio há pelo menos seis meses, e ainda assim com muito critério, pois é importante ter bem claro o que define um alimento como "MUITO ESPECIAL".

Portanto, MEU QUERER eliminar peso, está maior que qualquer uma de minhas vontades.

Estou realmente de volta ao controle da situação novamente.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Reiniciando Parte II

Pois bem, não bastando os abusos gerados em função do descontrole sobre os alimentos considerados permitidos na dieta da proteína, eu não satisfeita, me perdi ainda mais...


Quando em Setembro/2012 consegui, enfim, uma vaga para tentar mais uma vez alguma atividade física, e iniciei o Pilates, como mais uma das centenas de tentativas que já fiz de me apaixonar por algum tipo de ginástica, me vi ainda mais cheia de fome.

Como em todas as outras tentativas eu deixei de me concentrar no que estava comendo para me preocupar com a necessidade de não ir para a ginástica com fome.

Eu juro que tentei, no início comia um ovo, tomava um "tico" de leite com café e adoçante, outro dia tentava uma barra de cereais light, mas o doce, mesmo artificial desse produto, me fazia sentir falta de algo que eu sabia que não precisava e nem devia comer: O pão, salgado.

Deixando de pensar no que comer, renegando à segunda ou até terceira prioridade a seleção mais coerente do alimento, fui me iludindo, com um pensamento que cansei de alertar em alguns posts: “Eu paro quando quiser”, “Já consegui uma vez, posso conseguir novamente”.

É verdade! É como se fosse álcool, cigarro ou até mesmo droga. E o pior de tudo é que eu sabia muito bem que era assim, eu já havia estudado muito bem os resultados anteriores e tinha certeza que não seria assim tão fácil me libertar dessa dependência DE NOVO.

Mas eu precisei “PAGAR PRA VER”. E ficou muito caro, porque hoje estou com muita dificuldade de me livrar desses alimentos que cheguei a recusar com muita facilidade e não faz tanto tempo assim...

Chegou o Natal, Ano Novo e as festas de final de ano, e eu totalmente desanimada, cheia de outras preocupações, pois acabei envolvidas com outras atividades que precisavam da minha atuação, acabei praticamente abandonando qualquer preocupação com alimentação, passei meses sem tomar um copo de água por dia, acho que o que me hidratava era o café, porque esse eu tomava muito.

Ainda em Dezembro/2012, precisei de um medicamento que envolvia hormônios, nada grave, mas a médica receitou, e iniciei o tratamento. Ao ler a bula, fiquei preocupada pois mencionava a possibilidade de ganho de peso, afinal era tudo que eu precisava! Mantive o medicamento por dois meses e como os efeitos colaterais passaram a ser piores que o problema para que foi indicado, suspendi o uso, que deveria ser por 6 meses, e acredito que se utilizasse por esse período todo certamente iria engordar bastante.

Passei um período com muita correria, assumindo muitos compromissos aos mesmo tempo, que acabaram retirando de mim o pouco de tempo que eu tinha e que dedicava exclusivamente para pensar na dieta, nas metas, no objetivo, ou seja, uma mudança radical de prioridade.

Parei de acompanhar meu peso, penso que até para não ter que lidar com os erros cometidos, assim não precisava ficar me punindo a cada pesagem.

Começava a dieta na segunda e na quarta já me pegava comendo algo indevido, então, deixava para recomeçar na semana seguinte, e assim passei esses quase cinco meses de 2013, correndo atrás do rabo, sem nunca conseguir alcança-lo.

O blog foi abandonado porque já não tinha tempo, também porque não queria reconhecer minhas limitações e sem admitir os erros fica muito mais difícil acertar.

Como podem perceber, DESCULPAS não me faltam para tantos deslizes, e mesmo que algumas situações até justifiquem algum ganho de peso, a questão é NUNCA SE RENDER, e eu já estava prestes a desistir.

Conclusão: Recuperei 5 dos 15 quilos anteriormente eliminados, minhas roupas começaram a me incomodar novamente, e de novo, foi preciso me encher de CORAGEM para retornar e dar um BASTA nesse ciclo vicioso.

Assim, estabeleci como meta voltar ao peso que estava quando concluí a fantástica fase anterior ao efeito platô, já que esse foi o peso que me deixou tão confortável ao ponto de equivocadamente achar que poderia dar aquelas escorregadelas e retornar ao controle facilmente.

Portanto, a meta agora é recuperar o tempo perdido e eliminar o peso "REadquirido."

Regredi sim, mas aprendi muito bem a lição.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Reiniciando Parte I


Não. Não pretendo abordar as dificuldades como justificativas, mas é importante falar delas para superá-las.

Analisando minha conduta a partir do momento que meu peso ficou estacionado, venho fazendo algumas reflexões, entretanto o fato dessas reflexões serem feitas apenas mentalmente, não vem dando o resultado que precisaria dar, já que o cérebro continua sabotando qualquer pensamento coerente com a dieta que eu vinha seguindo e que vinha dando bons resultados.

Iniciei no efeito platô, em meados de Maio de 2012, e a proximidade com as férias me fez relaxar, parei de me preocupar com a necessidade de evoluir um pouco mais.

Saí de férias, em Julho de 2012, e por muita sorte não “ganhei” peso, mas continuei numa mesmice insustentável, não via resultado em nada que tentava.

Então, decidi que deveria tentar outras dietas, já que a minha não era baseada em nada além de reduzir a quase zero os carboidratos mais nocivos como pães, bolos, doces, massas.

Então eu fui tentar entender um pouco mais a dieta da proteína e embora estivesse muito controlada com os carboidratos, achava que seguindo à risca essa dieta poderia ter mais resultados, afinal, parada não dava mais para ficar...

Então: A dieta da proteína, tem algumas questões, que para quem não tem muito controle, é uma grande armadilha, e eu caí nessa teia e até hoje estou sofrendo as consequências.

Muitos autores e até praticantes descrevem que nessa dieta “Você Pode Comer o Quanto Quiser” daqueles alimentos permitidos, mas esse “quanto quiser”, não funciona muito bem comigo.

Essa frase dispara algum gatilho no meu cérebro que acaba me induzindo à compulsão.

Tenho consciência de que minhas dificuldades nada têm com metabolismo, embora depois de um tempo é o metabolismo que compromete a concentração no foco, ou no objetivo.

Então: Após instalada a compulsão, mesmo pelos alimentos “permitidos” na dieta da proteína, o que acaba acontecendo é que aos poucos, vamos incluindo itens não permitidos, pois muitas vezes nos deparamos com a falta do que “poderíamos” comer, e a disponibilidade imediata do que temos que evitar.

Nessa brincadeira, voltei a comer pães como antes, doces como antes, alimentos que praticamente estavam abolidos do meu cardápio há mais de um ano, e com um detalhe: Até então não sentia falta deles.

Assim, deixei de seguir o controle que tinha e que era relativamente tranquilo e voltei a ingerir descontroladamente praticamente tudo que já tinha abandonado e que nem me fazia falta.

Pelo descontrole que passei nesse período, o resultado poderia ser muito pior do que o que é.

Continua... 

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Competição 100513


Atendendo à pedidos, voltamos com a "Brincadeira Séria".

Aguardo confirmações de quem realmente pretende permanecer na brincadeira.

Nosso último controle é de Dez/2012, de lá pra cá, eu realmente perdi o FOCO e percebo que muitas seguidoras também.

Quem sabe retomando o acompanhamento, passamos a ficar mais compromissadas com nossos objetivos?



terça-feira, 7 de maio de 2013

Motivos ou Desculpas?

Situações que nos levam a ceder:
Pressa
Preguiça
Estresse
Tédio
Quando falta “muito”
E por incrível que pareça - Quando Falta Pouco-  também
Quando os números da balança não mudam
Se não acreditamos que vamos conseguir

Como reverter tudo isso?
Com calma, uma situação de cada vez, não conseguimos enfrentar mais do que uma ou duas de uma só vez e precisamos superar cada um desses obstáculos e passar para a próxima fase.

A pressa depende de uma certa estabilidade na rotina, sem conseguir se organizar nunca será possível adequar suas ações aos seus propósitos.

A preguiça merece ser tratada com algum mecanismo de “drible”, preparar o que precisamos comer exige um tempo, então devemos tentar algum esquema que possa reduzir o número de vezes que teremos que parar só para fazer isso, preparando várias porções de uma vez por exemplo.

O Estresse está vinculado à uma rotina desorganizada, com a falta de tempo, ou então com algum problema de ordem pessoal ou de saúde, primeiro precisamos tratar e eliminar essas causas para depois acabar com os sintomas.

O Tédio é um sentimento negativo que nos aflige agora numa situação de muito conforto, sem muita coisa para fazer nem para se preocupar, ficamos enjoados de uma determinada rotina e caímos no tédio. É preciso mudar o foco, procurar algo para se ocupar, encontrar algo que nos traga algum tipo de distração, para desta forma pararmos de pensar em comer aquelas coisas que sabemos que não devemos e que não vale à pena para nossa dieta.

Quando paramos para pensar no quanto falta para eliminar, esquecemos de pensar o quanto já foi conseguido e valorizar esse resultado positivo. O importante é focar nas ações não nos resultados imediatos, pois eles são gradativos e lentos, as metas precisam ser fracionadas de forma a nos trazer bem estar ao chegarmos a cada uma delas, e não angustia por ainda estar faltando “tanto”.

Se a balança não é sua aliada, não se prenda aos resultados apontados por ela, busque outro tipo de comparação como roupas maiores ou menores. Estabeleça metas pequenas e atingíveis, não queira reduzir em uma semana o que levou meses para engordar, pois a balança não vai fazer essa mágica.

Acreditar na própria capacidade é fundamental para progredir, temos que nos convencer que somos sim capazes, pois o sentimento de impotência gera certo conforto, e acabamos nos convencendo de que não somos capazes e pensando assim, nem fazemos mais força para conseguir. É uma rendição.

A luta continua, não joguei os doces fora, nem dei para outras pessoas como algumas sugestões que chegaram pois não adianta adotar esse tipo de atitude, nós não seremos tentados somente com o que temos em casa e além de tudo as demais pessoas da família não merecem ser privadas daquilo que somente nós não conseguimos resistir. Se um membro da família consegue comer apenas um docinho ele tem o direito de ter à sua disposição e nós não temos o direito de jogar fora o doce que seria dele.

O enfoque é outro, nós temos que resistir, tanto em casa quanto em qualquer outro lugar. Não dá para chegar à casa de alguém e ao nos oferecerem as guloseimas simplesmente entrarmos em pânico. Precisamos estar preparados para comer apenas um ou então resistir e não consumir nenhum.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Vamos Voltar?

Quem ainda quer voltar para a Brincadeira Séria?

Deixem os nomes e os dias que costumam se pesar, lembrando que a cada sete dias, nós divulgamos um ranking da eliminação de cada uma.


Atenção! Sem estresse! Sem Neurose!


A competição é conosco mesmo, comparamos umas com as outras apenas para buscar motivação, não importa se a outra eliminou mais num determinado período, já que cada organismo é único, suas reações e limitações também.


Preciso voltar a interagir com vocês, porque minhas prioridades estão se perdendo no meio de muitas outras atividades, e percebi que enquanto estava dedicando parte de meu tempo apoiando vocês, dando forças, me mantinha centrada no meu objetivo também, ao perder esse vínculo, meu foco também se foi.


Vamos lá! Andei visitando alguns dos meus blogs favoritos e está um pior que o outro. Todo mundo desanimado, parado, estacionado e certamente sem motivação.

Vamos lá galera, espero todas vocês, pro RETORNO.

Podemos ter escorregado e patinado um pouco, mas desistir não pode nem ser cogitado ok?

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Procurando Andréia

Andréia,

Cadê você? Nos últimos dias tenho "viajando" entre vários blogs amigos, seguidoras e leitoras e estou percebendo uma situação que gostaria de confirmar contigo.

Se possível deixe seu e-mail. Acredito que tinha, mas não estou localizando, aliás, nem consigo acessar meu e-mail de contato com os leitores porque não me lembro da senha, estou tentando recuperar, pois acredito que é lá que tenho seu e-mail, já que me enviou aquelas fotos maravilhosas de seu tão bem sucedido esforço.

Como meu tempo está um pouco restrito, não tem sobrado tempo para escrever minhas novas experiências, mas estou estudando os resultados dos seguidores, e em paralelo tenho mantido meus relatos de forma resumida para me organizar para voltar à comunicação com todos que nos acompanham.

Gostaria mesmo de trocar figurinhas com você, pois é o maior exemplo relatado e documentado aqui.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Enfrentando as Consequências

Pois é! Como eu escrevi no post anterior, tivemos uma festinha de aniversário, e eu que já vinha de um “deixa pra depois” há alguns meses, claro me perdi nas delícias da festa.

Se fossem somente os abusos cometidos na festa estaria fácil, mas estou numa compulsão incontrolável com os docinhos que sobraram, e tenho a sensação que só vou parar quando acabarem, e olha que sobraram muitos docinhos.

Minha sorte é que não gosto de todos os tipos, mas daqueles que eu gosto – EU GOSTO!

Lembro-me de um post bem antigo que falo da importância de não ter “besteiras” em casa. O fato de ter esses alimentos tão dispensáveis, que na verdade nem podem ser considerados alimentos, nos faz precisar de um controle que geralmente não dispomos, por isso somos possuídos pela necessidade de consumi-los.

Talvez o fato de uma parte do cérebro estar buscando uma alternativa de se livrar daquelas delícias, faça com que a outra parte do cérebro nos induza a querer consumir ainda mais rápido o “veneno”, para garantir que vamos comer antes que a outra parte do cérebro vença e por fim consigamos optar por jogar fora e não comer.

É assim que estou vivendo essa semana.

Enfrentando as consequências de ter me desviado do meu objetivo meses atrás, agora dominada por uma compulsão que chega a ser ridícula.

segunda-feira, 11 de março de 2013

Cadê todo mundo?


Aha! Antes que alguém me fizesse essa pergunta eu fiz primeiro...

Estou voltando e espero que os leitores especiais também retornem.

Como já escrevi em alguns posts anteriores estava mesmo muito envolvida num projeto pessoal.

Já concluí, ficou ótimo e agora preciso retornar ao meu maior motivador, onde encontro todas as formas de incentivo, onde me fortaleço para inclusive incentivar também - O Nosso Blog.

Ah? O que eu estava fazendo de tão importante? Estava organizando, pensando e trabalhando na festa de quinze anos da minha filhota linda, eu vivi essa festa MEGA SIMPLES por praticamente 4 meses. Fazendo pesquisas, estudando alternativas, principalmente porque não seria uma festa tradicional, pois a aniversariante não queria nada das formalidades e do cerimonial que geralmente norteiam esses eventos, Na verdade não daria trabalho algum se fosse feita por uma mãe menos perfeccionista,

Foi tudo muito bom, simples e marcante para ela, valeu cada minuto que eu fiquei preocupada com algo que não encontrava, ou com algum detalhe que não dava certo.

Agora estou me reorganizando, totalmente descontrolada, pois como qualquer um que tem problemas com a balança, eu também me acomodei e passei a utilizar todas as desculpas esfarrapadas para não seguir nenhum controle, agora vou ter que correr atrás do prejuízo. Vamos ver como me saio dessa vez.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Pausa...


Nunca demorei tanto para publicar minhas reflexões.

Não abandonei o blog, também não desisti da dieta. Estou tentando controlar na medida do possível para não perder muito do que já conquistei, mas não tenho tido tempo para me pesar como antes, embora essa tarefa seja das mais rápidas, mas como também não tenho tempo para me hidratar, nem controlar tanto o cardápio, nem tenho me preocupado com a balança.

Estou mesmo num ritmo que não está me permitindo dispor do tempo necessário para discutir os temas, os problemas, as alternativas e os resultados das nossas experiências.

Assim, achei melhor aguardar a correnteza passar, pois nunca gostei de escrever “de qualquer jeito”, nem “qualquer coisa”. Com pressa as ideias travam e as palavras não fluem, tornando o texto extremamente descartável.

A minha previsão é que na primeira quinzena de Março eu tenha mais disponibilidade. Aguardem, pois eu não desisti de vocês.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Quem é Vivo

Sempre, APARECE... Principalmente se estiver com alguns quilinhos a mais. (Rsrs vamos rir, porque chorar não adianta)

Não vou repetir tudo, é óbvio que está faltando tempo, não eu não retomei o controle como devia.

Como já falei em várias oportunidades aqui, os primeiros quinze dias de retorno precisam ser muito disciplinados e só após esse período conseguimos realmente dominar muitas VONTADES sem fundamento, lembrando que em vários posts ou respostas a diversos comentários eu afirmo com convicção que ninguém pode alegar que tem vontade de coisas que come com frequencia, ou seja, só porque parou de comer a dois dias ou uma semana não pode ceder a essa falsa vontade, pois é ela que coloca tudo a perder.

Não sou diferente de ninguém, embora tenha passado meses, extremamente controlada em 2011, simplesmente parei de emagrecer quando voltei a ceder a essas vontades com frequência.

Ainda continuo refém de algumas coisas que realmente me atrapalham muito, e sei que o processo para retomar será demorado, principalmente considerando a minha falta de tempo e consequentemente a falta de condições de me manter focada no que como, além da falta da hidratação.

Mas essa experiência vai ser devastadora, pois eu realmente aprendi que a brincadeira de comer tudo o que quer num dia e compensar no seguinte precisa ser muito consciente, não dá para fazer dieta um dia sim um dia não, sair eventualmente não vai atrapalhar, agora fazer dieta eventualmente não serve para nada e ainda ajuda a recuperar peso.

Andei lendo que depois que atingimos o peso adequado dá para escolher um dia na semana para comer um item “proibido”, só é preciso moderação, pois não se trata de engordar porque comeu um bolo inteiro num dia, mas de retornar ao descontrole devido a uma grande oscilação do metabolismo e em alguns casos uma descarga muito grande de insulina gera todo esse descontrole, fazendo com que a voracidade volte a dominar.

Portanto devemos ter muito cuidado com a quantidade de gostosuras não porque o resultado será imediatamente a recuperação de peso, mas a perda do controle, e sabemos que a partir desse momento é que se começa a recuperar peso.

Como já abordamos aqui, funciona sim como droga. Depois de conseguido o controle sobre ela, ao retomar o contato a probabilidade de não conseguir segurar ou parar quando necessário é muito grande.

Minhas tentativas de desintoxicação não têm chegado à sexta feira, por mil motivos que eu sempre vou encontrar para justificar, mas como me peso encontra-se sob controle, ainda acredito que após uma pausa na correria, sobrando um pouco mais de tempo até para preparar mais alimentos “ideais”, eu consiga me REGENERAR.

Mas para quem está começando, desanimada, acredite, depois de passados os quinze primeiros dias de controle, seus resultados vão fluir como nunca. Essa deve ser sua primeira META, concluir com sucesso 15 dias de controle total, retirando tudo que sabe que é desnecessário à sua alimentação.

Faça isso e depois volte para nos contar seu sucesso, tenho certeza que muita gente vai se surpreender com o quanto é forte, resistente e poderoso (a).

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

A Maior Falta

Confesso que fiquei muito preocupada no momento em que consegui me pesar, depois de várias semanas sem rotina, esquecendo balança e regras alimentares.

Mas hoje já senti aquele alívio que já estava acostumada, constatando o que já mencionei várias vezes aqui: “Variações drásticas no peso não se consolidam numa única semana”. Já me livrei de dois quilos que “surgiram” na balança na quarta-feira, quando me pesei.

Mas como essa semana foi curtinha, serviu apenas para PISAR NO FREIO e retomar alguns hábitos abandonados nos últimos dias como a hidratação, esse sim,  foi o meu maior pecado nos últimos dois meses.

Com a correria que venho vivenciando não consigo mesmo incluir a água na rotina, toda hora saindo para resolver alguma coisa,  então a água ficou mesmo para décimo plano e, portanto passou...

A falta de água foi minha maior inimiga. Não beber a quantidade ideal de água faz muita diferença. Ainda não entendi muito bem como realmente a água age, mas nosso peso fica totalmente alterado quando não nos hidratamos como necessário.

Semana que vem, será a semana de desintoxicação, o “Tratamento de Choque” tão útil no começo de 2011 precisará ser adotado, e só então terei uma noção mais exata do tamanho do meu prejuízo, ou seja, poderei confirmar quantos quilos ainda me faltam para atingir minha meta, e quantos realmente eu regredi em 2012. No momento, estou bem mais tranquila, pois a situação não está tão crítica como eu imaginava.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Balanço 2012

Começo o terceiro ano no blog um pouco decepcionada comigo mesma, mas como lamentar não resolve nenhum problema, não será sobre esse que irei “chorar o leite derramado”.

2012 foi um ano de estabilização, testei meus limites para os abusos daqueles alimentos que em sua maioria não devem fazer parte da nossa lista de “desejos”.

Senti na pele, ou melhor, na balança os reflexos desses desejos e pude avaliar com muita lucidez esses resultados, embora o consumo de alguns itens não tenha sido programado, usei minhas fraquezas para entender as consequências das várias vezes em que optei por ceder.

Cedi praticamente o ano inteiro, e para cada vez que cedia, tinha também várias explicações, justificativas ou “desculpas esfarrapadas” mesmo.

Ainda não tenho a menor ideia do meu peso, pois tenho realmente esquecido de me pesar com a regularidade de antes, mas posso afirmar que para engordar 10 ou 15 quilos é preciso muita distração, e por isso o emagrecimento também é demorado.

Dificilmente alguém engorda tantos quilos em períodos curtos, claro que existem exceções, mas não podemos nos orientar pelas exceções.

Vou recomeçar esse ano com mais disciplina, mais rigor e mais uma vez, esquecer um pouco a atividade física que busquei tanto no ano de 2012 e novamente serviu apenas para me fazer comer mais do que o necessário, como em outras ocasiões.

Percebi que meu foco ficou comprometido o que é visivelmente constatado pela quantidade de textos que escrevi. Enquanto em 2011, entusiasmada e motivada postei 292 textos, no ano de 2012 foram apenas 197 textos e reflexões.

Claro que ninguém tem tanto assunto assim para escrever sobre emagrecimento e dietas, mas o fato de me ausentar tanto me dava a liberdade de cometer ainda mais deslizes e falar cada vez menos deles, reduzindo assim o comprometimento comigo mesma, e como eu já escrevi tanto aqui, se “O MEU QUERER EMAGRECER” não for maior que qualquer outra coisa, eu realmente não vou evoluir na redução de peso que tanto busco.

O brinde do ano de 2012 aconteceu quando fui vestir uma bermuda 42 que estava servindo em Setembro desse mesmo ano, e não ficou bem. A peça até entrou, mas não ficou nada bonita, pois ficou muito justa e desconfortável.

Então, assim como o BASTA que falei para mim mesma em Dezembro de 2010 após me olhar no espelho e ver muitas dobrinhas nas costas, novamente eu grito: CHEGA DE MOLEZA pois aquela bermuda tinha que ter entrado, essa foi uma derrota que terei que superar.

Voltarei a me pesar diariamente como fazia nos tempos de controles eficientes e resultados animadores, e não hesitarei em relatar aqui os eventuais deslizes na sua íntegra para que eu mantenha o comprometimento com meus objetivos.